Notícias

Governo derruba resoluções do Conama que tratavam de proteção ambiental


Governo derruba resoluções do Conama que tratavam de proteção ambiental
Houve reunião nesta 2ª feira

SHOPPING VIRTUAS COMP 

Governo derruba resoluções do Conama que tratavam de proteção ambiental
Houve reunião nesta 2ª feira

Salles comandou o encontro

Facilita construção de resorts

Reduz proteção nas restingas

O ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente) em vôo durante ação em Jacareacanga (PA)Sérgio Lima/Poder360 - 5.ago.2020

O governo federal derrubou nesta 2ª feira (28.set.2020) 3 resoluções (a lista está abaixo) do Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente) que tratavam de proteção ambiental.

Na prática, agora está liberada a construção de resorts milionários nas restingas –em lugares de desova de tartarugas, onde, por exemplo, há unidades do projeto Tamar, que trabalha pela preservação de espécies ameaçadas de extinção.

O Poder360 consultou uma fonte do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). Eis os principais problemas apontados:

borda de tabuleiro ou chapadas: o conceito estava em resolução derrubada do Conama (declividade média inferior a 10%);
dunas móveis perdem a proteção como APP;
300m de restinga não fixadora de dunas e não estabilizadora de mangues perdem a proteção como APP;
também perdem a natureza de APP as seguintes modalidade com função de proteção à fauna:
locais de refúgio ou reprodução de aves migratórias;
locais de refúgio ou reprodução de exemplares da fauna ameaçados de extin­ção que constem de lista elaborada pelo governos federal, estadual ou municipal;
praias, quando forem locais de nidificação e reprodução da fauna silvestre.
AS RESOLUÇÕES QUE FORAM DERRUBADAS:
A derrubada das resoluções ocorreu em reunião do próprio Conama, convocada pelo ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente), que é o presidente do órgão.

Criado pela Lei Federal nº 6.938/81, o Conama é o órgão colegiado responsável pela adoção consultiva e deliberativa sobre o Sistema Nacional do Meio Ambiente. O conselho realiza reuniões ordinárias a cada 3 meses.

Salles colocou na ordem do dia a votação de uma resolução (eis a íntegra – 70 KB) que anulava outras resoluções.

Eis a votação das resoluções:

Resolução nº 284 – revogada – votação 16 x 3
Resolução nº 302 – revogada – votação 17 x 2
Resolução nº 303 – revogada – votação 12 x 7
Eis as resoluções revogadas:

Resolução 284, de 30 agosto de 2001, que dispunha sobre o licenciamento de empreendimentos de irrigação. Eis a íntegra (27 KB).
A resolução determinava 1 processo de 3 fases para empreendimentos de irrigação (obras e atividades como reserva, captação e drenagem de água) obterem licença ambiental. Agora, os empreendimentos não precisarão cumprir o procedimento.

Resolução 302, de 20 de fevereiro de 2002, que dispunha sobre os parâmetros, definições e limites de Áreas de Preservação Permanente de reservatórios artificiais e o regime de uso do entorno. Eis a íntegra (89 KB);
A resolução determinava que represas e reservatórios de água preservassem uma faixa de 30 metros ao seu redor como APP (Área de Preservação Permanente). Agora, as áreas poderão ser usadas para construção de habitações e outras atividades econômicas.

Resolução 303, de 13 de maio de 2002, que dispunha sobre parâmetros, definições e limites de APPs (Áreas de Preservação Permanente). Eis a íntegra (74 KB).
A resolução determinava quais são as APPs nas áreas litorâneas, o que incluía manguezais e faixas de restinga. Agora, a vegetação litorânea deixa de ser protegida pela norma.

“PASSAR A BOIADA”
A derrubada das resoluções é realizada cerca de 5 meses após o ministro Ricardo Salles declarar que o governo precisava aproveitar que as atenções estavam voltadas à pandemia para ir “passando a boiada” em atos normativos de meio ambiente. Salles se referia a derrubar resoluções ou editar portarias que flexibilizassem normas de preservação, em que o Congresso não precisasse analisar as medidas.

Depois da repercussão negativa, principalmente entre grupos ligados à preservação ambiental, o ministro tentou se defender. Ele disse que sempre foi favorável a mudanças das regras de proteção, desde que elas fossem realizadas dentro da lei. Para ele, é necessário simplificar normas em vigor no país.

O Poder360 integra o Saiba mais

 

submarino


ENTRE EM CONTATO CONOSCO

contato@documentosperdidos.com.br

Cariacica/ES

O Portal Documentos Perdidos é um Ferramenta gratuita que possibilita o cadastro e consulta de documentos que foram perdidos, contando também com um cadastro de pessoas desaparecidas.
COMPARTILHEM NOSSO SITE EM SUAS REDES SOCIAIS